Hand of Hope

Por que eles, e não nós?


 

Enquanto minha mulher Shelly e eu viajávamos para oito países da África por um período de três semanas, no final de março, fiquei emocionado como não havia ficado em outras vezes.
 
Durante nossa viagem, presenciamos pessoas – dos mais novos aos mais velhos – vivendo em uma pobreza terrível e com doenças debilitadoras. Como CEO das Missões Mundiais, eu já tinha visto isso muitas vezes antes, mas por alguma razão, naquele momento foi diferente. E isso me levou a fazer a pergunta: “Por que eles, e não nós”?

Creio que todos nós já nos perguntamos isso em algum momento de nossas vidas. Vemos uma pessoa sem-teto em nossa cidade ou uma criança faminta na TV e imaginamos por que nos foi dado uma qualidade de vida melhor que a deles.

Neste momento, você, provavelmente, está ansioso para escutar minha resposta. Mas, infelizmente, não sou capaz de lhe dar uma resposta. Sim, existem, sem dúvida, razões que expliquem, em parte, porque a pobreza existe. Sabemos que os indivíduos, líderes e governadores que fazem escolhas baseadas na Palavra de Deus vão trazer bênçãos sobre sua vida e sobre a população. E, igualmente, se fizermos decisões pobres, podemos trazer muita destruição.
 
Em todas as minhas viagens extensas, porém, em todos os meus pensamentos, estudos e orações, nunca encontrei uma resposta que fosse completa e direcionada a cada situação. A verdade é que existem coisas que simplesmente não sabemos.

O que sei é que Deus é bom, soberano e justo. E eu também sei disto: embora não tenhamos todas as respostas, isso não é motivo para não fazermos nada.

Como cristãos – os representantes de Deus aqui na terra –, é nossa responsabilidade alimentar o pobre, vestir aquele que não tem vestimentas, visitar aqueles na prisão e oferecer assistência à viúva. Afinal, isto é o que a Bíblia chama de “religião verdadeira” (veja Tiago 1:27). E isso é exatamente o que os Ministérios Joyce Meyer está fazendo todos os dias, pela graça de Deus e pelo seu suporte leal.

Convido você a tirar alguns minutos para viajar conosco pela África. Nossa viagem recente nos permitiu presenciar uma das maiores colheitas de vidas que você tornou possível... E isso nos deu a chance de fazer estratégias e até planejar para um ministério maior em todo o continente no futuro.


África do Sul

Agora mesmo uma das maiores notícias vindo dessa região é a resposta incrível que tivemos pela Conferência de Joyce que ocorreu recentemente, a qual irá acontecer novamente neste outubro em Johannesburg.

Minha mãe, Joyce Meyer, estará ensinando na chamada “Abóbada da Coca-cola”, que fica perto da avenida. Delírious?, o grupo Cristão da Inglaterra, que é também popular na África do Sul, estará se unindo a nós para conduzir o trabalho.

Os ingressos para o evento começaram a ser vendidos em 1° de março, e em menos de duas semanas foram todos vendidos! Como resultado, recentemente criamos um dia a mais de evento, cujos ingressos também foram todos vendidos.

Na cidade, também continuamos a trabalhar para a introdução de mais programas de alimentação em todo o país. Atualmente, operamos um centro em Cape Town, o qual alimenta mais do que 60 crianças todos os dias.

Em adição, nosso suporte está nos permitindo ajudar a custear um ministério poderoso chamado Umthombo, que alcança crianças vivendo nas ruas de Durbin. Umthombo procura crianças carentes, estabelecendo relacionamentos de confiança e depois as ajuda a largar as ruas e se reintegrar nas suas famílias e comunidades.

Ruanda

Essa visita a Ruanda foi a primeira desde nossa campanha Hope Ruanda, ocorrida em 2006. No último verão, vimos Deus cicatrizar e mudar o coração de milhões, e neste ano estamos muito contentes por ver um crescimento duradouro.

Durante nossa estada, nossa equipe teve a oportunidade de fazer uma cruzada de dois dias em um campo de refugiados e também de entregar uma casa renovada que tinha uma janela marcada pelo genocídio de 1994.

Tivemos a chance de participar com nosso novo programa de alimentação no “Centro de Educação do Reino” (Kingdom Education Center) em Kigali, onde alimentamos mais de 570 crianças todos os dias.

Uma das partes mais memoráveis da nossa viagem ocorreu quando visitávamos algumas das prisões de Ruanda. Ano passado distribuímos sacolas de higiene para cada prisioneiro em Ruanda. Então, neste ano, quando os oficiais das prisões anunciaram a equipe dos Ministérios Joyce Meyer, milhões de presidiários levantaram seus livros da Joyce Meyer em celebração ao nosso retorno!

Este foi um tempo de também olhar para o futuro. Ron Martin, o diretor de nosso escritório na África do Sul, eu e meus colegas Dave Van Rensberg, Mike e Pennie Shepard, nos encontramos com a liderança do país para lançarmos a visão para o “Mandato de Milhões de Líderes” (Million Leaders Mandate – MLM). Esse programa internacional de treinamento de líderes foi desenvolvido por John Maxwell e sua equipe ministerial.

Este ano, esperamos começar os treinamentos MLM na Índia, Cambodia e Ruanda.

Malawi

Foi minha primeira visita a esse país devastado pela pobreza. Muitos anos eles lidaram com enchentes que muitas vezes destruíam suas plantações e seus alimentos. Mas, durante alguns anos, eles
sofreram exatamente o oposto – secas devastadoras – que também os deixaram sem sustento.

Durante nossa viagem, visitamos uma clínica médica impressionante, funcionando por intermédio da “Linha da Vida Malawi” (Lifeline Malawi). Essa clínica está localizada em uma parte rural do país. De acordo com suas estatísticas, 21% dos pacientes são HIV positivos. As boas novas são: eles são capazes de fornecer os medicamentos ARV necessários para mantê-los vivos. Estamos, atualmente, explorando caminhos para ajudá-los a aumentar seus esforços para que possam algum dia abrir uma ala de maternidade.

Abraçamos, também, um encontro estratégico frutífero em Malawi para um novo empreendimento chamado Go Global. Nossa meta é colaborar com vários outros ministérios e desenvolver caminhos para aumentar o numero de missionários que ficam durante todo o dia no campo. Missionários como Jamie e Lea Peters, os quais deram o suporte por anos, são a chave para verdadeiramente alcançar a nação. Em nossa viagem, fomos visitar, juntamente com os Peters, aqueles que recentemente se mudaram para cá para introduzir suas igrejas na África.


Zimbábue

Zimbábue não é nada comparado ao que era a dez anos atrás. Um artigo recente no The Sunday Times pintou uma figura sombria do que esta nação se tornou:

“Mugabe arruinou seu país com medidas políticas que mataram milhões... A economia reduziu-se em torno de 40% desde 2000 e está diminuindo ainda – o sistema de saúde entrou em colapso e a população, agora enfraquecida pelos cinco anos consecutivos de inanição, morre de coisas que nunca foram fatais antes. O impressionante índice de 42 mil mulheres mortas durante o parto no último ano, por exemplo, comparado com o menor do que mil uma década atrás. Somente 20% da população estão agora acima da linha de pobreza. Já tivemos o índice de 30% de desempregados, porém agora ele é de 80%.”

Com a ajuda da Children´s Cup e do nativo Zimbabwean Dave Van Rensberg, alimentamos milhões de crianças aqui durante anos, até que as condições se tornaram muito perigosas. Depois focamos nossos esforços na Swaziland, onde, juntos, nós implementamos os bem-sucedidos “Pontos Centrais de Assistência” (Care Point Centers), os quais alimentam e cuidam de milhões de crianças.

Atualmente, estamos procurando intensamente a direção de Deus para ajudar mais uma vez o Zimbábue.  Pedimos a você que ore por essas pessoas preciosas que vivem nesse país incrivelmente necessitado.

Etiópia

Chegando ao fim da nossa jornada, Shelly e eu paramos na Etiópia e nos encontramos com Pat e Susan Bradley do “Auxílio na Crise Internacional” (International Crisis Aid). Passamos o dia todo no nosso ministério – programa de suporte alimentício na área da Angacha.

Pictured above é o nome dado ao dispositivo de medida usado em crianças de cinco anos ou abaixo dessa idade para determinar se elas são candidatas ao programa de alimentação. Se a circunferência da parte de cima do braço é menor que 12,5 cm (em vermelho), isso indica que elas estão severamente desnutridas. Quase todas as crianças que vimos naquele dia mediam no vermelho e, desesperadamente, precisavam de ajuda.

Ficamos com o coração partido ao vermos que muitas crianças estão à beira da inanição. Em minha opinião, não há uma criança no mundo que mereça ficar com fome. Naquele dia, abraçamos três irmãos trigêmeos que estavam severamente desnutridos e com menos que duas semanas de idade.

Os bebês Susan, David e Shelly quase morreram. Agradeço a Deus, pois, por intermédio do nosso suporte, fomos capazes de dar a ajuda de que eles necessitavam para terem uma chance de lutar.  O tratamento é muito simples, se pudermos chegar às crianças em tempo.


Obrigado

Quando olhamos ao redor do mundo e vemos todos esses sofrimentos, todos de dar dor no coração, é fácil perguntar: “Como pode ser?” Mas, como filhos de Deus, com a habilidade de fazer diferença, creio que devemos também nos perguntar: “Como podemos fazer mais?”

Após quase três semanas na África, presenciando novamente o que nossos parceiros podem fazer, estou ainda mais determinado a passar a minha vida somando valores às pessoas, melhorando seus padrões de vida e colocando um sorriso em tantas faces quanto eu puder. Mais do que nunca, estou convencido de que ajudar pessoas nunca será um erro.

E sabemos que você crê nisso também. Viajando pelo continente, Shelly e eu, amigos e parceiros, vimos de primeira mão como o nosso suporte está impactando o mundo. Olhamos nos olhos das mães agradecidas, apertamos as mãos com aqueles que recebiam refeições que salvavam vidas e seguramos bebês frágeis que teriam literalmente morrido sem nosso auxílio.

E isso tudo começa com você. Todo dia, Deus está pegando suas doações – seu dinheiro – e usando-o para fazer um milagre para alguém em necessidade. E se é a África, a Índia ou ao longo da margem do Amazonas, seu suporte está dizendo às pessoas que existe um Deus que as conhece, que as ama e se importa com elas.

Em nome de todo aquele que você está ajudando mundialmente, obrigado pelo seu suporte generoso que está fazendo diferença para agora e para a eternidade.


David L. Meyer é o filho mais velho de Dave e Joyce e CEO das Missões Mundiais para os Ministérios Joyce Meyer. Sua paixão em ajudar as pessoas e em alcançar o mundo com o Evangelho o levou ao redor do mundo. Ele viaja regularmente, supervisionando as colheitas e desenvolvendo novos caminhos para ajudar o perdido e o ferido.